Como resultado desses anos de intensa vivência cultural lançou, em 1999, seu primeiro disco, Toadas de Bumba meu Boi (selo Núcleo Contemporâneo), composto por toadas (músicas) de alguns de seus integrantes – Ana Maria Carvalho, Graça Reis e Tião Carvalho.  Nos sotaques da Ilha e da Baixada, inspiradas no autêntico Bumba-meu-boi do Maranhão, as músicas desse álbum trazem arranjos do Maestro Branco, Ubiratan Souza, Benjamin Taubkin e Tião Carvalho.

Contemplado em 2007 pelo PAC – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, o Cupuaçu produziu e lançou o disco Todo Canto Dança, no segundo semestre de 2008, com canções autorais de vários de seus integrantes, apresentando os ritmos das danças realizadas pelo Grupo CUPUAÇU.

Desde 2008, é membro atuante do programa Brasil Memória em Rede, iniciativa do “Museu da Pessoa”, apoiada pelo Ministério da Cultura, que organiza encontros, seminários, congressos, conferências e interações via internet entre pontos de cultura, universidades, entidades civis de diferentes matizes visando o compartilhamento de experiências que contribuam para o desenvolvimento das potencialidades socioculturais e artístico-pedagógicas das mais diferentes comunidades brasileiras.

Em razão de sua efetiva participação no fomento de ações culturais e da transmissão dos saberes tradicionais através da oralidade, ao longo de todos seus anos de existência, o Grupo Cupuaçu, em 2009, passou a integrar a “Ação Griô Nacional” do Programa Cultura Viva, que é uma ação da Secretaria da Cidadania Cultural do Ministério da Cultura.

Em 2011 teve seu projeto “Ciclo do Bumba Meu Boi- 2012” contemplado pelo edital Funarte Artes de Rua – dança, circo e teatro.

Realizou por dois anos consecutivos (2012-2013) o projeto “Dança, Morro do Querosene” com apoio do Programa VAI, da Prefeitura de São Paulo.

Foi contemplado em 2013 com o Prêmio Culturas Populares -MINC, em reconhecimento a sua trajetória e contribuição para as culturas populares tradicionais no Brasil.